Sistema Normas Receita Federal - Acompanhamento diário da legislação atualizada da RFB

Página Principal imprimir documento
Portaria CGSNSE nº 10, de 03 de julho de 2012
Multivigente Vigente Original Relacional
(Publicado(a) no DOU de 05/07/2012, seção , página 31)  

Define perfis e usuários do Sistema de Controle de Acesso às aplicações do Simples Nacional (ENTES-SINAC-P).

(Revogado(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 16, de 22 de julho de 2013)

A SECRETARIA EXECUTIVA DO COMITÊ GESTOR DO SIMPLES NACIONAL (CGSN/SE), no uso da competência que lhe conferem os incisos VI e VII do art. 16 do Regimento Interno do Comitê Gestor do Simples Nacional, aprovado pela Resolução CGSN nº 1, de 19 de março de 2007, e tendo em vista o disposto no art. 137 da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011e também as disposições constantes da Portaria SRF nº 450, de 28 de abril de 2004, e da Portaria SRF/Cotec nº 13, de 17 de março de 2010, resolve:

Art. 1º Definir perfis e usuários do Sistema de Controle de Acesso às aplicações do Simples Nacional - ENTES-SINAC-P, na forma do anexo desta Portaria.

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º Fica revogada a Portaria CGSN/SE nº 8, de 20 de junho de 2012, publicada no DOU nº 120, de 22 de junho de 2012, Seção 1, p. 10.

SILAS SANTIAGO Secretário Executivo

Nota SIJUT: Originalmente publicada com a data 32/07/2012, esta Portaria teve sua data alterada por retificação no DOU de 06/07/2012, pág. 34.

  (Vide Portaria CGSNSE nº 10, de 03 de julho de 2012)

ANEXO

DEFINIÇÃO DE PERFIL E USUÁRIOS AMBIENTE DE PRODUÇÃO

1 - Sistema: Sistema de Controle de Acesso às aplicações do Simples Nacional - ENTES-SINAC-P

1.1 - O sistema disponibiliza aos Estados, Distrito Federal, Municípios e Receita Federal do Brasil o acesso às aplicações do Simples Nacional, a serem disponibilizadas na internet, as quais permitirão que os usuários de Estados, Distrito Federal, Municípios e Receita Federal do Brasil efetuem as operações de:

1.1.1 - deferimento ou indeferimento de opções;

1.1.2 - cadastramento de fiscalizações, lançamentos e contencioso administrativo;

1.1.3 - inclusão, exclusão, alteração e consulta de informações;

1.1.4 - importação e exportação de arquivos de dados;

1.1.5 - pratica de eventos de ofício judiciais e administrativos.

1.2 - Condições de acessibilidade:

1.2.1 - permitido acesso via internet: SIM

1.2.2 - uso de certificação digital: SIM

1.2.3 - acesso à base via SENHA/REDE: SIM

2 - Perfis

2.1 - Perfil HABILITA

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.1.1 - Aplicação Simples Nacional: Habilitação de Usuários - HABILITA

2.1.2 - Classificação: Operacional

2.1.3 - Privilégios

Permite ao representante do ente federado no cadastro do Fundo de Participação dos Estados (FPE) ou do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), denominado "responsável pelo FPEM", alterar o usuário-mestre.

Permite ao usuário-mestre:

- designar um novo usuário-mestre;

- cadastrar diretamente outros usuários ou, se preferir, cadastrar usuários-cadastradores;

- atribuir perfis de acesso aos usuários-cadastradores e outros usuários.

Permite aos usuários-cadastradores:

- cadastrar outros usuários, exceto cadastradores;

- atribuir perfis de acesso a outros usuários, exceto cadastradores.

A definição e alteração de usuário-mestre observará, ainda, as demais disposições do art. 138 da Resolução CGSN nº 94/2011.

2.1.4 - Usuários

2.1.4.1 - Usuários Externos

Responsável pelo FPEM, usuário-mestre e usuário-cadastrador, observadas as disposições do art. 138 da Resolução CGSN nº 94/ 2011.

2.1.5 - Parâmetros Adicionais:

2.1.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário.

2.2 - Perfil DEFERE

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.2.1 - Aplicação Simples Nacional: Deferimento da Opção pelo Simples Nacional de empresas em início de atividade e upload de arquivo de pendências de empresas já em atividade para efeito do agendamento e opção pelo Simples Nacional.

2.2.2 - Classificação: Operacional

2.2.3 - Privilégios

Permite aos usuários de Estados, Distrito Federal e Municípios a consulta às informações prestadas pelas empresas sob sua jurisdição, em início de atividade, no termo de opção pelo Simples Nacional e possibilita que os entes federados validem ou não as informações prestadas e, dessa forma, defiram ou indefiram a opção pelo Simples Nacional dessas empresas.

Permite upload de arquivo de pendências de empresas para efeito do agendamento e opção pelo Simples Nacional.

2.2.4 - Usuários

2.2.4.1 - Usuários Externos

Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

2.2.5 - Parâmetros Adicionais:

2.2.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário.

2.3 - Perfil EVENTOSRFB

Permitida a habilitação de usuários externos: Não.

2.3.1 - Aplicação Simples Nacional: Prática de eventos judiciais e administrativos por servidores RFB

2.3.2 - Classificação: Operacional

2.3.3 - Privilégios

Permite a prática de eventos judiciais e administrativos, bem como consultas a histórico de eventos já praticados.

Permite registrar a liberação de pendências que geraram o indeferimento da opção da empresa.

Permite, ainda, para indeferimentos, informar:

a) quando o contribuinte apresenta a impugnação ao Termo de Indeferimento.

b) a manutenção da pendência caso a impugnação do contribuinte seja julgada improcedente.

2.3.4 - Usuários

2.3.4.1 - Usuários Internos

Servidores da carreira Auditoria da Receita Federal (ARF) autorizados por seu chefe imediato.

2.3.5 - Parâmetros Adicionais:

2.3.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.4 - Perfil EVENTOSEF

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.4.1 - Aplicação Simples Nacional: Prática de eventos judiciais e administrativos por servidores dos entes federados.

2.4.2 - Classificação: Operacional

2.4.3 - Privilégios

Permite a prática de eventos judiciais e administrativos, bem como consultas a histórico de eventos já praticados.

Permite o upload de arquivo de exclusão em lote de optantes pelo Simples Nacional.

Permite a servidor do Estado, Distrito Federal ou Município registrar a liberação de pendências que geraram o indeferimento da opção da empresa.

Permite, ainda, para indeferimentos, informar:

a) quando o contribuinte apresenta a impugnação ao Termo

de Indeferimento.

b) a manutenção da pendência caso a impugnação do contribuinte seja julgada improcedente.

2.4.4 - Usuários

2.4.4.1 - Usuários Externos

Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

2.4.5 - Parâmetros Adicionais:

2.4.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário.

2.5 - Perfil CONSULTAS

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.5.1 - Aplicação Simples Nacional: Consultas de Informações do Simples Nacional

2.5.2 - Classificação: Operacional

2.5.3 - Privilégios

Permite o acesso às seguintes funcionalidades:

- Consulta Histórico de Empresas no Simples Nacional;

- Consulta Extrato de Apuração do valor devido de Simples Nacional efetuadas pelos contribuintes;

- Consulta Declarações Anuais do Simples Nacional (DASN) transmitidas;

- Simulador do PGDAS;

- Consulta a outros históricos, extratos e declarações disponíveis no Sistema.

- Consulta CNAE e Naturezas Jurídicas vedadas.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 12, de 18 de janeiro de 2013)

2.5.4 - Usuários

2.5.4.1 - Usuários Internos

Servidores da RFB autorizados por seu chefe imediato.

2.5.4.2 - Usuários Externos

a) Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

b) Procurador da Fazenda Nacional, nos termos dos respectivos convênios, autorizado por seu chefe imediato.

c) Servidor do Serpro integrante de equipe de desenvolvimento responsável pelos aplicativos do Simples Nacional, autorizado pelo Analista de Negócio da Cotec.

  (Retificado(a) em 09/08/2012, pág 12)

c) Servidor do Serpro integrante de equipe de desenvolvimento responsável pelos aplicativos do Simples Nacional, autorizado pela Cotec ou pela Cotec/Cosis.

2.5.5 - Parâmetros Adicionais:

2.5.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário, para usuários de Estados, Distrito Federal e Municípios.

Para os usuários da RFB e do Serpro, o parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.6 - Perfil TRANSFARQ

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.6.1 - Aplicação Simples Nacional: Sistema de Transferência de Arquivos

2.6.2 - Classificação: Operacional

2.6.3 - Privilégios

Permite o download de arquivos do Simples Nacional e a consulta às solicitações de download dos mesmos.

2.6.4 - Usuários

2.6.4.1 - Usuários Internos

Servidores da RFB autorizados pelo Secretário-Executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional.

2.6.4.2 - Usuários Externos

Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

2.6.5 - Parâmetros Adicionais:

2.6.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário, para usuários externos.

Para os usuários da RFB, o parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.7 - Perfil DASRFB

Permitida a habilitação de usuários externos: Não.

2.7.1 - Aplicação Simples Nacional: Emissão de DAS sem multa e sem juros.

2.7.2 - Classificação: Operacional

2.7.3 - Privilégios

Permite a emissão de DAS sem multa e sem juros para atender medida judicial ou decisão administrativa.

2.7.4 - Usuários

2.7.4.1 - Usuários Internos

Servidores da carreira Auditoria da Receita Federal (ARF) autorizados pelo chefe da unidade ou por seu substituto.

2.7.5 - Parâmetros Adicionais:

2.7.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.8 - Perfil LIBERA

Permitida a habilitação de usuários externos: Não.

2.8.1 - Aplicação Simples Nacional: Liberação de Pendências Fiscais.

2.8.2 - Classificação: Operacional

2.8.3 - Privilégios

Permite a liberação de pendências fiscais de empresas nas verificações do agendamento e do Termo de Opção, antes do indeferimento, por meio do aplicativo Dispensa de Verificação de Débitos.

Após o indeferimento utiliza-se o perfil EVENTOSRFB

2.8.4 - Usuários

2.8.4.1 - Usuários Internos

Servidores e empregados da RFB autorizados pelo chefe da unidade ou por seu substituto.

2.8.5 - Parâmetros Adicionais:

2.8.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.9 - Perfil BLOQUEIO

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.9.1 - Aplicação Simples Nacional: Bloqueio e desbloqueio de pagamentos do Simples Nacional

2.9.2 - Classificação: Operacional

2.9.3 - Privilégios

Permite o acesso às seguintes funcionalidades:

- Bloqueio de pagamentos disponíveis de tributos administrado pelo ente federado ao qual pertence o usuário;

- Desbloqueio de valores bloqueados de tributos administrado pelo ente federado ao qual pertence o usuário;

- Consulta do histórico dos bloqueios e desbloqueios relativos a um determinado pagamento.

2.9.4 - Usuários

2.9.4.1 - Usuários Internos

Servidores da RFB autorizados por seu chefe imediato.

2.9.4.2 - Usuários Externos

Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

2.9.5 - Parâmetros Adicionais:

2.9.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário, para usuários de Estados, Distrito Federal e Municípios.

Para os usuários da RFB, o parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.10 - Perfil ADMSITERFB

Permitida a habilitação de usuários externos:. Sim

2.10.1 - Aplicação Simples Nacional: Administração do Portal do Simples Nacional

2.10.2 - Classificação: Operacional

2.10.3 - Privilégios

Permite a administração do conteúdo do Portal do Simples Nacional.

2.10.4 - Usuários

2.10.4.1 - Usuários Internos

Servidores da RFB autorizados pelo Secretário-Executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional.

2.10.4.2 - Usuários Externos

Servidores de Estados, Distrito Federal e Municípios autorizados pelo Secretário-Executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional.

2.10.5 - Parâmetros Adicionais:

2.10.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

2.11 - Perfil ADMSITESER

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

2.11.1 - Aplicação Simples Nacional: Administração do Portal do Simples Nacional

2.11.2 - Classificação: Operacional

2.11.3 - Privilégios

Permite a administração dos aplicativos disponíveis no Portal do Simples Nacional.

2.11.4 - Usuários

2.11.4.1 - Usuários Externos

Servidor do Serpro integrante de equipe de desenvolvimento responsável pelos aplicativos do Simples Nacional, autorizado pelo Analista de Negócio da Cotec.

  (Retificado(a) em 09/08/2012, pág 12)

Servidor do Serpro integrante de equipe de desenvolvimento responsável pelos aplicativos do Simples Nacional, autorizado pela Cotec ou pela Cotec/Cosis.

2.11.5 - Parâmetros Adicionais:

2.11.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

Permitida a habilitação de usuários externos: Não

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 12, de 18 de janeiro de 2013)

2.12.1 - Aplicação Simples Nacional: Manutenção de CNAE e Natureza Jurídica

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 12, de 18 de janeiro de 2013)

Permite a manutenção das tabelas de CNAE e Natureza Jurídicas vedadas ao Simples Nacional ou ao MEI.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 12, de 18 de janeiro de 2013)

Servidores da RFB autorizados pelo Secretário-Executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 12, de 18 de janeiro de 2013)

2.12.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 12, de 18 de janeiro de 2013)

Permitida a habilitação de usuários externos: Não

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.13.1 - Aplicação Simples Nacional: Sistema Único de Fiscalização do Simples Nacional - Sefisc

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permite o acesso às seguintes funcionalidades:

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil autorizados por seu chefe imediato.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil lotados na Cofis ou no Escritório Regional do Simples Nacional da 8ª RF, autorizados por seu chefe imediato.

(Redação dada pelo(a) Portaria CGSNSE nº 14, de 07 de maio de 2013)

2.13.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.14.1 - Aplicação Simples Nacional: Sistema Único de Fiscalização do Simples Nacional - Sefisc

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permite o acesso às seguintes funcionalidades:

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Registro de ação fiscal da fase transitória;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Informação da data de ciência da ação fiscal;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Informação do encerramento da ação fiscal;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Integração de Ação Fiscal iniciada por outro ente;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Manutenção da tabela de unidade de fiscalização;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.14.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário, para usuários externos.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permitida a habilitação de usuários externos: Não.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.15.1 - Aplicação Simples Nacional: Sistema Único de Fiscalização do Simples Nacional - Sefisc

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permite o acesso às seguintes funcionalidades:

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Emissão de termo de exclusão vinculado à Ação Fiscal;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil autorizados por seu chefe imediato.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.15.5.1 - O parâmetro adicional não deve ser preenchido.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permitida a habilitação de usuários externos: Sim.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.16.1 - Aplicação Simples Nacional: Sistema Único de Fiscalização do Simples Nacional - Sefisc

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Permite o acesso às seguintes funcionalidades:

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Registro de ação fiscal no período de transição;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Informação da data de ciência da ação fiscal;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Informação do encerramento da ação fiscal;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

-Emissão do termo de exclusão vinculado à ação fiscal;

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

Servidor do Estado, Distrito Federal ou Município devidamente cadastrado e habilitado por um cadastrador do ente federado.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)

2.16.5.1 - Código da Tabela de Órgãos e Municípios – TOM ou código da UF (estado): Código do município, utilizado na tabela TOM, ou o código da UF (estado), de acordo com a atuação do usuário, para usuários externos.

  (Incluído(a) pelo(a) Portaria CGSNSE nº 13, de 20 de fevereiro de 2013)
*Este texto não substitui o publicado oficialmente.
Página Principal imprimir documento
Sistema mais bem visualizado nos navegadores Internet Explorer 6 e Mozilla Firefox 3.5 ou superiores.