Sistema Normas Receita Federal - Acompanhamento diário da legislação atualizada da RFB

Página Principal imprimir documento
Portaria Conjunta PGFN / RFB nº 1, de 10 de fevereiro de 2012
Multivigente Vigente Original Relacional
(Publicado(a) no DOU de 13/02/2012, seção 1, página 25)  

Altera a Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15, de 15 de dezembro de 2009, que dispõe sobre o parcelamento de débitos para com a Fazenda Nacional.

A PROCURADORA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL e o SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições que lhes conferem o art. 72 do Regimento Interno da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, aprovado pela Portaria MF nº 257, de 23 de junho de 2009, e o inciso III do art. 273 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF nº 587, de 21 de dezembro de 2010, e tendo em vista o disposto no art. 14-F da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, resolvem:

Art. 1º Os arts. 6º, 23 e 25 da Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15, de 15 de dezembro de 2009, passam a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 6º ….....................................................................................................................................

§ 2º …...........................................................................................................................................

c) cópia da Planilha de débitos da Procuradoria-Geral Federal (PGF) ou Planilha do Sistema de Execução Fiscal Trabalhista (SEFT), se houver, com os valores das bases de cálculo; e

….........................................................................................................................................” (NR)

“Art. 23 …...................................................................................................................

§ 1º O pagamento da 1ª (primeira) parcela deverá ser efetuado por meio de Darf ou GPS.

…..................................................................................................................................

§ 3º As retenções realizadas a partir da 2ª (segunda) parcela poderão ocorrer, dentro do mês, em data anterior ao vencimento da prestação, conforme a legislação de repasse do FPE ou do FPM.

….........................................................................................................................” (NR)

“Art. 25. Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, quando do requerimento do parcelamento, autorizarão o repasse à União dos valores retidos a título de pagamento das prestações do parcelamento, ou quitação deste, das obrigações previdenciárias correntes e da mora.

…................................................................................…..............................................

§ 4º O repasse não será efetivado se o ente político protocolar manifestação expressa em sentido contrário, devendo o pagamento das parcelas ser feito por meio de Darf ou GPS, sem prejuízo da retenção do respectivo Fundo de Participação na forma dos arts. 23 e 24.

…..................................................................................................................................” (NR)

Art. 2º Os Anexos IV e IX da Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15, de 2009, ficam substituídos pelos Anexos I e II desta Portaria.

Art. 3º Esta Portaria Conjunta entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 4º Fica revogado o § 2º do art. 23 da Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15, de 15 de dezembro de 2009.

ADRIANA QUEIROZ DE CARVALHO Procuradora-Geral da Fazenda Nacional CARLOS ALBERTO FREITAS BARRETO Secretário da Receita Federal do Brasil

ANEXO I

Identifica??o da Entidade do Poder P?blico (Estado, Distrito Federal e Munic?pio)

01- NOME

02- CNPJ

03- TELEFONE

04- SEDE

05- REPRESENTANTE LEGAL (NOME):

06- CARGO OU FUN??O:

07- CPF

 

O ente pol?tico acima identificado declara estar de acordo com as seguintes cl?usulas, que far?o parte do processo de parcelamento solicitado por meio dos formul?rios Pedido de Parcelamento de D?bitos- Pepar e Discrimina??o do D?bito a Parcelar - Dipar:

 

Cl?usula 1? O ente pol?tico autoriza a reten??o do valor da parcela, acrescido da taxa referencial do Sistema Especial de Liquida??o e de Cust?dia (Selic) acumulada mensalmente, na cota do Fundo de Participa??o dos Munic?pios (FPM) ou na cota do Fundo de Participa??o dos Estados (FPE), bem como a reten??o em cota(s) posterior(es) de diferen?a, caso n?o tenha sido a parcela plenamente quitada.

 

Cl?usula 2? O ente pol?tico autoriza que seja efetuada a reten??o no FPM e/ou FPE do valor das suas obriga??es previdenci?rias correntes do m?s anterior ao do recebimento do respectivo Fundo de Participa??o.

 

Cl?usula 3? O ente pol?tico autoriza, quando houver atraso no cumprimento das obriga??es pre-videnci?rias correntes, inclusive de presta??es de parcelamento em atraso, que seja efetuada a reten??o no FPM e/ou FPE do valor correspondente ? mora.

 

Cl?usula 4? O ente pol?tico autoriza o repasse dos valores retidos na forma das cl?usulas 1?, 2? e 3? ? Uni?o.

________________________________________ Local e data ________________________________________ Assinatura do Representante Legal Telefone para contato: ___________________

ANEXO II

TERMO DE PARCELAMENTO DE DÉBITO ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

INSCRIÇÃO EM DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO N°_________________________ Ao(s) _______ (__________________) dia(s) do mês de ___________________________ do ano de _____________, nesta unidade da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, perante o Procurador da Fazenda Nacional abaixo assinado, compareceu ___________________________________________________, doravante denominado(a) DEVEDOR, inscrito(a) no CPF/CNPJ sob o n° _________________________________, estabelecido(a)/residente e domiciliado(a) em ___________________________________ ______________________________ e neste ato regularmente representado(a) pelo(a) Sr.(a.) ___________________________________________________, restou acordado que: PRIMEIRO - O DEVEDOR confessa, irretratavelmente, perante a Fazenda Nacional, o débito referente ao Processo Administrativo n° _________________________________, inscrito como Divida Ativa da União sob o n° ___________________________________. SEGUNDO - Pleiteado com fundamento nos arts. 10 a 14-F da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, e na Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15, de 15 de dezembro de 2009, o parcelamento da dívida mencionada no item anterior foi deferido em ________ (______________________) parcelas; TERCEIRO - A dívida consolidada em ____/____/____, alcança o valor de R$__________________, sendo cada prestação mensal de valor igual a R$___________________, composta das seguintes parcelas: Principal - R$_____________________; Multa - R$ ________________ ; Juros de Mora consolidados - R$__________________; e do encargo previsto no Decreto-Lei n° 1.025, de 21 de outubro de 1969, e alterações posteriores - R$__________________. QUARTO - As referidas prestações, para efeito de pagamento, serão acrescidas dos juros equivalentes à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) para títulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do mês subseqüente ao da consolidação até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado. QUINTO - O DEVEDOR autoriza a retenção do Fundo de Participação dos Estados (FPE) ou do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) do valor correspondente: a) a cada prestação mensal do parcelamento, por ocasião de seu vencimento; b) às obrigações previdenciárias correntes; c) à mora, quando verificado atraso no cumprimento das obrigações previdenciárias correntes, inclusive prestações de parcelamento em atraso. SEXTO - O DEVEDOR autoriza o repasse dos valores retidos à União na forma da cláusula anterior. SÉTIMO - O DEVEDOR declara-se ciente de que a rescisão do presente acordo acarretará, de pleno direito e independentemente de qualquer interpelação judicial ou extrajudicial, o vencimento do débito total remanescente, com a imediata apuração do saldo devedor, para fins de ajuizamento ou prosseguimento da execução judicial, na forma da legislação pertinente. E para constar e fazer prova do que foi ajustado, foi lavrado o presente Termo em 3 (três) vias, o qual, depois de lido e achado conforme, vai assinado pelas partes. __________________________________________ PROCURADOR DA FAZENDA NACIONAL (carimbo com nome e matrícula) __________________________________________ DEVEDOR

*Este texto não substitui o publicado oficialmente.
Página Principal imprimir documento
Sistema mais bem visualizado nos navegadores Internet Explorer 6 e Mozilla Firefox 3.5 ou superiores.